Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Ó Mãe, Aquele Moço Bateu-me!

 

Nunca esperei passar por uma situação destas. E nem esperava que ele me tratasse assim!

 

Tudo se passou na casa de banho. Antes da hora de almoço. Necessitei de ir à casa de banho lavar as mãos mas o lavatório estava ocupado. Tive que esperar um pouco até que o N. saísse de lá. Como nunca mais se despachava, resolvi fazer-lhe uns carinhos, expressar o meu amor por ele…

 

Comecei a dar-lhe beijinhos e a fazer-lhe festinhas. E é claro que também aproveitei para lhe fazer umas cócegas nas suas zonas críticas, que não vou revelar aqui para que ninguém descubra os seus pontos fracos.

O que eu fui fazer!!! O N. enfureceu-se, ficou com ar de doido, e depois pegou numa toalha e… desatou a bater-me!

 

Viu-se mesmo que ele estava a adorar aquela briga. Como eu não me deixo ficar atrás, agarrei numa luva de banho e vá de lhe dar com ela por onde o apanhava… Foi uma luta e pêras! Ora dava uma, ora levava outra, mas não dei a mão à palmatória!

Acabámos os dois a rir como se fôssemos das crianças e depois fomos almoçar.

 

 

Já Está à Porta!

 

Mais uma data importante se aproxima. Pelo menos para quem lhe dá importância e a vive com intensidade. O que não é o meu caso já há bastante tempo.

 

É tempo de introspecção e reflexão, de formular desejos para o tempo futuro. É tempo de analisar os erros do passado para os corrigir no futuro. É tempo de recordar os bons e os maus momentos.

É tempo de rever as nossas atitudes e decisões tomadas anteriormente para prosseguirmos a nossa vida com a lição já apreendida.

É tempo de procurar a Paz, o Amor e a Felicidade tantas vezes esquecidos…

É tempo de Esperança!

 

Pretendo passar a minha Passagem de ano aqui na minha casinha em companhia do N. e do Pimentinha e mais alguém se juntará a nós de certeza. Faremos um jantarinho fixe. Depois iremos esperar pela meia-noite para comer as detestadas passas e fazer todos os outros rituais de passagem de ano velho para o ano novo.

Iremos bater as panelas e tacho para a janela e gritar ao mesmo tempo que assistimos ao fogo de artifício quer de um lado da casa, quer do outro. Terminamos com o bebericar do champanhe.

Tal como acontece com o fogo de artifício, também nós esmorecemos enquanto os minutos começam a avançar no Ano Novo.

 

Antes tinha muita pena se não ia sair neste dia. Mas este ano estou muito desmotivada para estas coisas. Talvez devido às contrariedades da vida…

 

A Prenda de Natal mais Odiada… (Parte II)

 

Lembram-se do meu post A Prenda de Natal mais Odiada… ? Na altura em que escrevi este texto, nem sequer me atrevi a pensar noutra prenda que realmente causasse…

                                                                    Terror

                                                                                     Pavor

                                                                                                       Temor…

 

Existe outra prenda ainda mais temida que as caixinhas de chocolate. O chocolate tem apenas um senão: é hipercalórico e pode acrescentar uns pneuzinhos às nossas esbeltas figuras quando comido em excesso. De resto, é do melhor que há – docinho, saboroso, macio e capaz de colmatar algumas carências afectivas momentâneas (ou não!).

 

Lembram-se da minha prima R. que eu referenciei no post Hipocrisia Familiar? As suas prendas são as mais temidas por toda a família. Não se ponham já a imaginar que ela oferece algo nocivo ou envenenado. Não. É a sua incapacidade e inabilidade para fazer muitas coisas, a sua falta de imaginação, a sua desorganização, e os cifrões à frente do nariz que a fazem agir assim.

 

Somos quatro primas que sempre convivemos e morámos perto. E como é óbvio, na altura do Natal, sempre trocámos prendas entre nós. Hoje em dia, quem tem filhos, recebe prendas para as crianças mas quem não tem… Que é o caso da minha prima P. e o meu. Então lá recebemos nós um presentinho… não desejado!

 

Para nós, as receptoras dos famosos presentes não desejados, é um mistério a fonte onde ela os vai buscar. Ou são a custo zero da empresa onde trabalha, ou vêm da loja da mãe. Mas acredito que a primeira hipótese é a mais provável.

Tudo leva a crer que ela transformou estas prendas não desejadas em tradição. O N. andou a fazer balanço aqui em casa e nós, graças a ela, já temos seis! Sim, seis! Será que ela se esquece a quem oferece tal prenda?!

 

E agora perguntam vocês: mas que raio de prenda é essa, afinal? A prenda é… uma garrafa de vinho do Porto!!!! Aaaaaargh! I hate Oporto wine! Odeio vinho do Porto! Mas mesmo que gostasse, já estava abastecida de vinho do Porto para os próximos 50 anos! Eu não sou exigente com nada, muito menos com prendas, mas é preciso ter um pouco de bom senso! Seis garrafas?! Bolas! Já nem tenho espaço na garrafeira.

Ainda se fosse um Licor beirão… ou uma Amarguinha…

 

Percebem agora o receio que nós temos em receber prendas da R.? Que fazemos com tantas garrafas daquela coisa? Nós nem gostamos.. Oferecemos a outros? Hummm… não acho justo! Já pedi à minha mãe para dar um toque à minha tia mas ela recusa-se. E agora?! É que este ano recebi mais uma…

 

Natal em Balanço

 

Já nos encontramos no segundo dia após o Natal. Andámos que nem loucos durante algumas semanas a empenharmo-nos para comprar presentes, desesperámos em filas de espera, e atulhámo-nos em iguarias. e de repente.. Pufffs! O dia mais esperado do ano passa tão depressa, que quase não demos por ele!

Dei por mim pouco embrenhada na época natalícia. Não senti grande pressa para fazer a árvore de Natal, comprei as poucas prendas a horas de não me meter na confusão e comprei a matéria-prima para as iguarias natalícias calmamente, evitando as filas gigantescas.

O meu Natal foi passado na minha casa, em família. Éramos cinco gatos pingados a atacar o meu belo bacalhau e o meu borrego assados no forno, acompanhados de umas batatinhas deliciosas. Como eu não aprecio borrego, ataquei o bacalhau!

Chegou a parte dos doces... Ó valha-me Deus! Nem sei por onde começar... Fiz um bolo de chocolate com cobertura de chocolate e natas a pensar no meu irmão. Depois seguiu-se um doce maravilhoso à base de leite condensado que a minha tia Etelvina me ensinou a fazer. É de chorar por mais e este foi feito a pensar no N.. Por último, arrisquei fazer Baba de Camelo. A pedido do N., lá a fiz mas só provei uma colherzinha. Acho que tenho de voltar a fazer para aperfeiçoar uns pormenorzinhos... Como se isto tudo não bastasse, ainda havia um molotoff!

A minha mãe este ano esmerou-se nas filhós. Inovou nas tradicionais da sua terra, fez coscorões e sonhos! Para mim as melhores forma mesmo as da terra dela. Chlép!

Conclusão: tenho resmas de doces por aqui. Alguém quer vir aqui dar uma ajudinha para exterminar os doces de vez?

Depois daquela comezaina toda, resolvemos fazer algum exercício físico abrindo prendas. Ainda recebi algumas prendinhas. O N. ofereceu-me umas botas, a minha mãe duas camisolas o mano e o pai não ofereceram nada..lol! Mas receberam! Ah, e o N. também se auto-presenteou com uma máquina de café espectacular...

O meu dia 25 de há alguns anos para cá, tem sido sempre passado com a minha amiga S. que faz anos precisamente nesse dia. Costumava haver almoço e lanche em casa dela e era uma forma de estarmos juntas nesse dia.

Este ano resolveu não fazer nada. Diz que estava farta da hipocrisia familiar que se juntava à sua volta nesse dia. E, por isso, nem bolo de aniversário queria. É um direito dela que eu compreendo tão bem!

No fim das contas, festejámos o aniversário dela dois dias antes com uma jantarada aqui em minha casa.

Assim, no dia 25, eu e o N. abancámos a tarde inteira no sofá a papar todas as porcarias que deram na tv nesse dia. É que nem sequer nos apeteceu ir à procura de um café aberto para beber um café! Já para nem falar da chuvada que começou a cair... Só saímos de casa para o Pimentinha dar a sua voltinha e fazer as suas necessidades fisiológicas.

Foi assim passado mais um Natal em família.

 

No Natal Ninguém Leva a Mal...

 

 

Confirma-se! O Natal afecta mesmo as pessoas. O espírito natalício afecta nã0 só o coração mas também a cabeça e restantes membros do corpo.

É insuportável andar às compras nestes dias. embora já tivesse comprado tudo de que necessitava, precisava daquelas coisas do dia-a-dia. Por isso, vá de ir ao supermercado.

Nestes dias, uma ida ao supermercado é uma autêntica aventura. Há vários desafios a enfrentar: a busca do cesto das compras desocupado; desvio de obstáculos - entenda-se pessoas (há pessoas que vão literalmente passear para supermercados atulhados de gente) - em movimento lento; corrida ao último objecto da espécie; teste de resistência à paciência (de espera na fila).

Entramos no supermercado e não há como levar as compras pois cestos e carrinhos foram extintos momentaneamente. Resmas, gingabaites de pessoas, ou seja, todas as pessoas da zona estão ali, naquele supermercado a fazer compras naquela hora. Depois há aquelas pessoas que andam a passear pelos corredores, de malinha às costas, sem compras e mais lentas que um caracol. Mas o pior de tudo é que entopem os corredores e não deixam ninguém passar!

As prateleiras praticamente vazias, são um verdadeiro incentivo à pratica de desporto, nomeadamente de luta livre. Só existe um exemplar do brinquedo da moda. é visto por duas pessoas que desatam a correr em direcção e ele. Quem for mais rápido tem a recompensa de o levar para casa. Só não contavam ser os dois tão rápidos e aquilo dá direito a enxovalho, nomeações, arranhadelas, dentes partidos e puxões de cabelos. Ao chegar à caixa, o vencedor verifica que o brinquedo está danificado.

Depois há as filas infindáveis para pagar. Até dá para nos evadirmos dali... Podemos imaginar que a fila é a Grande Muralha da China e nós estamos lá sentados a apanhar um solzinho na cara e a beber saqué. Só somos despertados pelos gritos esganiçados de alguém que reclama com outrém que passou à frente para perguntar algo à empregada da caixa.

Do outro lado, ouve-se a mesma converseta repetidas vezes vinda de um velho que se infiltra na fila com a desculpa que tem o direito de passar à frente, e que reclama com quem realmente tem acesso prioritário.

 

Que  espírito natalício será este, que desencadeia os instintos mais primários do ser humano e sentimentos negativos? Será o espectro do consumismo, mascarado de espírito natalício que deturpa os sentimentos nobres por que este é caracterizado? Ou sou eu que estou para aqui a divagar com os neurónios a piscar, qual luzinhas de Natal?

Natal a Seco!

lqes_empauta_novidades_796_torneira.jpg

 Isto não passa pela cabeça de ninguém. Nem sequer pela garganta!

 

Não não foi por falta de bebida, o que há mais para aqui são bebidas alcoolicas e não alcoolicas que nunca mais acabam. O que acabou foi memo aquele líquido precioso que começa em A e termina em A. Já adivinharam?!

 

 Desde quando é que um cano de água decide rebentar no dia da noite de Natal? Logo num dia destes em que estamos todos atarefados a preparar as nossas iguarias para ingerir à noite!

Como é possível cozinhar sem água?! E a casa de banho? Não podemos receber visitas com tudo sujo, né?

 

Eu acho que isto foi praga de alguém. Como senão bastasse não ter havido água na maior parte no dia 24, tinham que fazer "bis" no dia 25... Quer dizer, uma pessoa levanta-se a tiritar de frio já programada para se ir enfiar na banheira para um belo duche. Abre a torneira e... blub!... blub!... blub!... Em vez de sair água dos canos sai ar! Argh!

 

Uma pessoa estava mesmo a precisar daquele duchezinho para lavar o corpo e a alma. Para libertar o corpo dos pecados da gula e a alma dos efeitos de um copinho a mais. Mas afinal os planos foram por água abaixo. Salvo seja!

 

Só por isto, já merecia mais dois sacos de prendas de Natal, não acham?! Humpf!

Uma Prendinha!

A minha amiga Papoila, deu-me esta prendinha que agora partilho convosco. Vou ter que atribuir esta prenda a 5 cantinhos que costumo visitar e comentar, o que não me agrada nada pois eu meto o "bedelho" em mais de 5 blogs diariamente... grrr!

Cá vão os 5 blogs (protesto!):

CoNvErSaS dA ExIsTêNcIa

 

Gato Pardo

 

Salpicos de Luz

 

Crisálida

 

Quimeras Mil

 

As regras ou sugestões que coloco são:
- Que os cantinhos nomeados sejam aqueles que costumam visitar e no qual comentam;
- Devem colocar a tag do prémio;
- Deverão indicar os 5 cantinhos que nomeiam;
- Podem ou não indicar a pessoa que os nomeou, colocando um link para o seu blog...

 

P.S. - Todos os outros que não estão mencionados aqui em cima, estão aqui ao lado  <----------------------... Por isso amiguitos/as considerem-se "aprovados" também e "feel free" para colocar o selinho no vosso cantinho!

Votos Natalícios

 

 

Este post é dedicado a todos vocês que por aqui passam todos os dias e que fazem parte de um pedacinho da minha vida. Todos vocês são muito importantes para mim. Do fundo do coração vos agradeço toda a atenção que me dedicam.

 

Desejo-vos um Santo Natal, cheio de Amor, Felicidade e Prosperidade. Que Menino Jesus vos traga tudo de bom

Momentos de Relaxe

 

Sinto-me cansada. Não da azáfama das compras de Natal pois as minhas prendas estão todas compradas. Talvez dos afazeres do dia-a-dia. Desde que entrei em férias que não parei um bocadinho. Sinto-me uma barata tonta sempre às voltas. E vá de subir até ao terceiro andar várias vezes por dia... Vendo isto de um lado positivo, ao subir tantas escadas sempre faço exercício físico.

Hoje foi mais um dia de andar às voltas. Eu, porque o N. ficou em casa. Compras para aqui, compras para ali e voltas e reviravoltas para entregar coisas. Mas consegui ter dois momentos de relaxe: um após o almoço a tomar o meu primeiro (des)café do dia e o outro ao fim da tarde.

Tomei um super duche, com aroma a framboesa. Deixei a água escorrer pela face abaixo com um jacto forte para ver se o cansaço e a dor de cabeça (apareceu hoje de novo!) se desvaneciam, me libertavam.

Senti-me noutra dimensão. Afaguei-me no meu roupão para secar as gotas de água do meu corpo. Dediquei-me, uma vez mais, ao tratamento do meu corpo com cremes de fragrâncias suaves e duradouras.

Enquanto eu tratei de mim, o N. esteve a fazer o nosso jantar. Estava óptimo, pois ele cozinha bem. Só falta eu ensinar-lhe os truques e delicadezas da doçaria. E aí sim, fica um perfeito mestre culinário.

Estou uma perfeita dona de casa mas estas ajudas do N. são preciosas. Deve haver poucos hoemnes assim. Não, ele não é só sofá, futebol e cerveja, é um excelente amigo e ajudante.

P.S. - Amigos/as bloguistas eu sei que ando a falhar um cadinho nos comentários mas não fiquem zangadinhos/as comigo... sabem como é o Natal com resmas de coisas para fazer. Depois ácabo por já estar cansada quando venho para o computador. Mas eu prometo que vou passando por todos vocês, mesmo que não comente, tá? Beijinhos repenicadinhos!

Pág. 1/4